A triste história de Nicolau – Parte 2

Padrão

Nicolau passou o dia nas ruas e conseguiu um trocado pedindo em um sinal qualquer, quando o sol se pôs e a noite caiu, Nicolau entrou em sua casa discretamente pela porta dos fundos (que Silvia sempre deixava aberta por descuido) e pegou alguns poucos pertences: um livro, um velho canivete suíço e uma gaita que roubou de um homem o qual ele engraxou os sapatos.

Antes de sair rumo á floresta, Nicolau escreveu um bilhete á sua mãe, Silvia que dizia:

“Mamãe, estou partindo para seguir meu sonho de ser um artista. Não é pelo dinheiro, não é pela fama, é pelas garotas. Oh yeah, as garotas! HAEUHEUAEHAUEH, zoa mãe! É pelo sonho, você sabe que eu sempre sonhei em ser um músico conhecido em todo o mundo. Não se preocupe, vou me dar bem sozinho. um dia, quem sabe, a senhora poderá me ver na televisão =D”

Nicolau deixou o bilhete na porta da geladeira, preso por um imã e partiu com lágrimas escorrendo pelos olhos.

Chegando na floresta, Nicolau logo se juntou aos poucos amigos primatas que restaram após o ataque. Nicolau observou que havia uma nova macaca na floresta, e ela era diferente. Seu nome era Charlotte. Ela era especial, tinha um brilho no olhar, ela não se comportava como as outras macacas, ela era educada e inteligente, e ao mesmo tempo era tão livre e dona de uma personalidade tão impulsiva e ousada! Além disso, ela era tão linda… Os seus cabelos… Ah, os cabelos! Eram tão macios, brilhosos e pretos como o céu em uma noite de lua cheia, assim como seus olhos.

Nicolau ficou congelado por alguns segundos e acordou quando viu o pai de Charlotte chegar e percebeu que ele era muito musculoso, apesar da idade avançada e dono de uma cara fechada intimidadora. Seu nome era Jeremias e por onde passava todos saiam de seu caminho, ele era realmente assustador! Nicolau ouviu boatos de que ele não permitia que Charlotte namorasse e dizia que ninguém era bom o suficiente para ela.

Quando os macacos da floresta souberam que Nicolau estava de mudança para a floresta, fizeram uma grande festa, chamaram todos os animais da floresta e prepararam um banquete para Nicolau. Durante a festa, Nicolau e Charlotte trocaram olhares sem que Jeremias percebesse, e quase no final da festa Nicolau tentou se aproximar de Charlotte, eles conversaram por um tempo, e Nicolau pegou seu telefone e logo percebeu que estava apaixonado. Para contrariar a alegria de Nicolau, Jeremias percebeu o interesse de Nicolau por Charlotte e logo interrompeu o diálogo e Nicolau guardou o papel que contia o número do telefone celular de Charlotte e partiu para falar com o principal anfitrião, e despediu-se e agradeceu pela festa e disse que ia arrumar seu lugar para dormir ao pé de uma bananeira.

O anfitrião não permitiu que Nicolau dormisse no chão e disse que avia uma casa-na-árvore disponível, ao lado da casa-na-árvore de Charlotte e seu pai. Nicolau ficou muito feliz e arrumou suas coisas na sua nova casa. Na casa já havia uma cama, um criado-mudo e uma escrivania, para a sorte de Nicolau. Nicolau deitou-se na cama dura e começou a tocar sua gaita, quando começou a ouvir passos, e logo deduziu que fossem Charlotte e seu pai. Nicolau continuou a tocar, olhando através da janela.

Jeremias estava gritando com Charlotte dizendo que ela era muito oferecida e que deveria se dar mais valor, e que deveria ser mais como a sua mãe. A briga estava esquentando e Charlotte retrucou dizendo que desde que sua mãe morreu Jeremias virou um homem amargo e infeliz. Nesse momento, o silencio prevaleceu. Jeremias se sentou na beira da cama e começou a lembrar de sua esposa que morrera quando Charlotte era um filhote. Charlotte se arrependeu e pediu perdão, mas seu pai não respondeu.

Jeremias começou a tocar sua gaita mais alto e eles puderam ouvir, Jeremias ficou puto de vez e mandou Nicolau ir tomar no c* dando cotoco com as duas mãos para Nicolau, que ficou envergonhado e foi se deitar. Nicolau resolveu mandar uma mensagem SMS para Charlotte, que respondeu pedindo desculpas pelo seu pai, e Nicolau pediu para eles se encontrarem na beira do lago ás 15 horas.

Assim o fizeram e se encontraram na beira do lago e começaram a conversar, quando rolou um clima e eles trocaram olhares e rapidamente Charlotte beijou Nicolau, que ficou surpreso no começo, mas logo se entregou á magia do momento.  Depois disso Nicolau confessou á Charlotte que ele estava apaixonado por ela. Ela disse que ela também gostava de Nicolau, mas que não poderiam jamais namorar, por causa de seu pai. Nicolau disse que queria fugir com ela para Salvador, disse que ele iria sustentá-la com seu salário de músico. Charlotte aceitou a idéia, pois estava cansada de seguir as regras de seu pai e também estava apaixonada por Nicolau.

Eles arrumaram suas bagagens e partiram á meia-noite, rumo á BR-364, principal estrada para chegar á Salvador….

CONTINUA, NA TERCEIRA PARTE DE “A TRISTE HISTÓRIA DE NICOLAU”

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s